BLOG

Acompanhe aqui as notícias do seu Montepio Rainha D. Leonor

164º Aniversário

O Montepio Rainha Dona Leonor – Associação Mutualista é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), considerada de Utilidade pública e agraciada pelo Sr. Presidente da República em 1960 com a Comenda da Ordem da Benemerência, cuja origem remonta a uma reunião em 11 de março de 1860, em que um conjunto de caldenses decidiu fundar um “Monte Pio”, para poder assegurar assistência médica aos seus sócios, além de outros apoios, contando assim com 164 anos de existência.

Sendo uma das Instituições mais antigas da cidade de Caldas da Rainha e da região Oeste, tem ao longo da sua existência desenvolvido ação altamente meritória aos seus associados e à população em geral, tendo nos últimos 50 anos tido um papel determinante na área da saúde e do apoio social, o que lhe permitiu assegurar a sua longevidade e um significativo número de associados, visto contar atualmente com cerca de 7.000 (sete mil) numa população de 50.000 (cinquenta mil) residentes no Concelho.

O objetivo inicial dos mutualistas fundadores de apoiar os mais necessitados e que mostravam maiores dificuldades em conseguir condições de vida dignas sempre se manteve no espírito da organização e assim foi criado em 1995 o Lar (ERPI – Estrutura Residencial para Pessoas Idosas), a que foi dado o nome do grande impulsionador do desenvolvimento clínico do Montepio, sendo designado Lar Residencial Dr. Ernesto Moreira, e no qual se instalou igualmente um Centro de Dia que pode receber até 10 utentes.

Esta estrutura com 60 camas permite apoiar um número já significativo de pessoas idosas que na região de Caldas da Rainha constituem no grupo etário superior aos 65 anos mais de 20% da população residente. Esta unidade contratualizada com a Segurança Social fornece serviços completos que vão desde animação, fisioterapia, acompanhamento médico, terapia ocupacional, etc.

 

Não satisfeita com esta criação a associação manteve o seu foco de tentar suprir as faltas de apoio dirigidas a este grupo etário e logo que lhe foi possível criou em 2011 um Condomínio Residencial Para Idosos com 96 apartamentos e tipologias T0 e T1, no qual assegura o funcionamento de um serviço de apoio domiciliário, de referência.

Nesta estrutura, os residentes podem subscrever um amplo conjunto de serviços de apoio, que vai desde a alimentação, aos cuidados de higiene, de limpeza da residência, de apoio médico, de enfermagem, de fisioterapia, etc, conforme as suas necessidades e dispondo assim de um contínuo acompanhamento individualizado, suprindo todas as suas necessidades.

Atualmente foi criada uma sala Snoezelen de maneira a que possamos contribuir para melhorar o bem estar dos nossos idosos e igualmente colaborar na recuperação de muitas situações clínicas em que esta técnica demonstra capacidades de intervenção, em especial na infância. Esta sala que inicialmente será destinada para apoio interno ficará também disponível para a comunidade em geral.

Os associados são a força desta Instituição e tem sido a sua razão de ser ao longo da toda a existência, defendendo a atual Administração que o alargar da base de associados através da criação de melhores e mais benefícios é fundamental. No global deverá ser o objetivo major a alcançar, de forma a que a sua relação com a comunidade em geral possa ser tão forte que crie a dinâmica necessária para ultrapassar sem dificuldade os desafios que o futuro certamente lhe trará, no curto e longo prazos.

 

No imediato os “novos projetos” que afinal se traduzem em ideias já com vários anos, mas que só agora estão a ser concretizadas, como a edificação de uma nova clínica com condições para aumentar o atendimento, com condições modernas, novas técnicas e capacidade para olhar o futuro com confiança, está a ser materializada tendo sido já obtida a aprovação do projeto de arquitetura pela Câmara Municipal, assim como a devida aprovação na Autoridade de Saúde, encontrando-se presentemente a serem desenvolvidos os respetivos projetos de especialidade de forma a que possamos dar início à sua materialização.

Com esta obra o Montepio Rainha D. Leonor poderá continuar a perpetuar a sua ação no futuro e garantir os benefícios aos seus associados, assim como a apoiar a comunidade em geral.

 

Em linha com o que acabámos de referir encontra-se igualmente a Associação a dar os primeiros passos no lançamento de um novo projeto de residências assistidas, que certamente irá responder de forma muito assertiva às necessidades sentidas pela comunidade.

 

Todos os projetos em curso nestes últimos 3 anos resultam do trajeto de modernização e atualização da Instituição que tem estado em acelerada fase de implementação, de forma a que possa responder aos desafios do futuro e que se têm traduzido na modernização de processos através da digitalização de todos os setores, nomeadamente da área clínica, financeira e de pessoal, com a sua inter-comunicabilidade permitindo assim melhorar a produtividade por colaborador e simplificar processos.

 

Este caminho já permitiu fazer do Montepio Rainha Dona Leonor um exemplo de esforço de organização rumo ao futuro e pertencer a grupos de discussão internacionais, assim como ser voz ativa em organizações de acompanhamento junto da comunidade europeia.

 

Dr. Francisco José Rita

Presidente Conselho de Administração

As atividades socio-ocupacionais

As atividades socio-ocupacionais têm um papel crucial no desenvolvimento cognitivo e social das pessoas mais velhas institucionalizadas, uma vez que promovem a sua autonomia, funcionalidade, bem-estar e qualidade de vida. 

Ao longo do mês de fevereiro, foram realizadas diversas atividades com base em temáticas lúdicas e comemoração de datas/épocas festivas, como foi o caso do Dia da Amizade e do Carnaval. As atividades desenvolvidas vão ao encontro das necessidades e das potencialidades dos utentes, bem como dos seus gostos e preferências. Deste modo, as atividades desenvolvidas variam nas diversas valências, encontrando um ponto de equilíbrio e ligação em cada uma delas, elaborando assim atividades conjuntas e em separado. 

A nível conjunto, no mês de fevereiro, o Centro de Apoio aos Idosos Doutor Ernesto Moreira – CAI (Estrutura Residencial para Pessoas Idosas – ERPI) e o Condomínio Residencial Montepio Rainha Dona Leonor (Serviço de Apoio ao Domicílio), porporcionaram aos utentes uma saída ao exterior, nomeadamente ao Centro Comercial La Vie com o intuito de assinalar o Dia Internacional da Rádio (13 de fevereiro) onde foi possível assistir a uma emissão de rádio em direto e ainda visitar algumas lojas do shopping. Comemorou-se ainda o Carnval, onde foram elaborados fatos carnavalescos com o tema “O Bordalo Pinheiro”, caracterizando assim os utentes de “Zé Povinho” e “Ama das Caldas”, com a colaboração dos Animadores Socioculturais, utentes e demais colaboradores institucionais. 

No CAI, celebrou-se ainda no dia 14 de fevereiro, o Dia da Amizade , também conhecido como o Dia de São Valentim, através de um ateliê culinário que consistiu na confecção de bolachas com pepitas de chocolate, com o apoio do Nutricionista Ricardo Rebelo. Ainda sobre esta temática, decorreu durante os dias 9, 10 e 13 de fevereiro workshops lúdicos com o intuito de realizar postais alusivos ao tema. Ao longo do mês, os utentes tiveram ainda oportunidade de participar em ateliês de poesia, sessões de cinema, sessões individuais e grupais de estimulação cognitiva e multissensorial com recurso à música.

Já no Condomínio Residencial, os utentes tiveram oportunidade de assistir a tardes musicais porporcionadas pelo grupo “WANOUCH”, que intrepretam maioritariamente músicas em língua inglesa, uma vez que há utentes que apenas dominam a língua inglesa, bem como pelo Coro “Os Cana Rachada”, dinamizado pela Animadora Marjolijn Hageman e pelo Fisioterapeuta Paulo Sousa. Para além das atividades já mencionadas, os utentes assitiram durante o mês de fevereiro a palestras orientadas pelas estagiárias do Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde da Escola Técnica e Empresarial do Oeste, no âmbito da lavagem das mãos e das emoções, bem como de workshops de pintura acrílica, recolha de histórias de vida e tarde musical com o Coro da Universidade Sénior de Caldas da Rainha – “Musicando”, dinamizadas pela Estagiária do Curso Profissional de Animação Sociocultural da Escola Técnica e Empresarial do Oeste. Os utentes contam ainda com a presença do Diácono Romero, uma vez por mês e, com aulas semanais de Neuroyoga, dinamizadas às 2ª feiras, pela Professora Anabela Val-Flores. 

15º Aniversário da Unidade do MRDL – O Serviço Social na RNCCI

No presente ano, o Montepio Rainha Dona Leonor, entidade de referência na área da Saúde da nossa Região, comemora o 15º Aniversário da sua Unidade de Convalescença, protocolada com a ARS Lisboa e Vale do Tejo, no âmbito da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI).

Conforme o Decreto-Lei n.º 101/2006, de 6 de junho, referente à criação da RNCCI, o objetivo é promover a prestação de cuidados de saúde e de apoio social, de modo contínuo e integrado, a pessoas que se encontrem em situação de dependência. Para tal, os cuidados são centrados na recuperação global e holística da pessoa, promovendo a sua autonomia e procurando melhorar a sua funcionalidade com recurso a equipas multidisciplinares de profissionais (médicos, enfermeiros, auxiliares, fisioterapeutas, terapeutas da fala, terapeutas ocupacionais, psicólogos, animadores, assistentes sociais, entre outros).

Desde o início do século XX, os Assistentes Sociais passaram a integrar as equipas
dos serviços de saúde, como sejam os cuidados de saúde primários e os cuidados de saúde hospitalares. Com o aparecimento da RNCCI, surgiu um novo modelo em que o Serviço Social tem como missão destacar a centralidade dos fatores psicossociais, enquanto determinantes ou favorecedores do tratamento, da reabilitação, da readaptação e da reintegração dos utentes nos ambientes sociais mais adequados. Assim, cabe a estes profissionais a gestão personalizada das situações e necessidades dos utentes, promovendo a “manutenção, o reforço ou o restabelecimento das relações interpessoais do doente com a equipa, a família e as redes de sociabilidades”, como indicado no Manual de boas práticas para os Assistentes Sociais na Saúde e na RNCCI.

De acordo com o mesmo Manual, em contexto de internamento os Técnicos de Serviço Social trabalham diretamente em quatro momentos metodológicos ao nível do apoio psicossocial ao utente e família: 1) o acolhimento, 2) a elaboração do plano individual de cuidados, 3) o acompanhamento psicossocial (a informação e advocacia, articulação dos serviços internos e externos, assegurando a ligação entre a rede de suporte ao doente e família) e  4) a preparação da continuidade dos cuidados (planeamento da alta).

Na nossa Instituição, acima de tudo, o Serviço Social, bem como todos os elementos da equipa multidisciplinar, trabalham diariamente com um objetivo comum: assegurar a melhor qualidade dos serviços prestados aos utentes, promovendo assim a melhoraria na qualidade de vida dos mesmos e suas famílias.

Alexandra Noronha

Assistente Social

A Reumatologia nas Caldas da Rainha

A história de Caldas da Rainha está intimamente ligada à Reumatologia desde a sua fundação.

Em 1484 a rainha D. Leonor ia de viagem entre Óbidos e a Batalha quando passou por uma povoação onde as pessoas tomavam banho em águas de odor intenso. Ao ouvir que as águas tinham capacidades curativas, a rainha provou as águas e reza a história que terá ficado curada. Deste modo, por decreto real fundou no local um hospital termal, o que levaria à fixação de uma pequena povoação. Com o crescimento do termalismo, em particular aqueles que iam tratar o seu “reumatismo” (termo obsoleto para definir a patologia músculo-esquelética), ao longo dos séculos a povoação cresceria até dar origem à cidade das Caldas da Rainha. A Rainha Dona Leonor é a “padroeira” da Sociedade Portuguesa de Reumatologia, e dá o nome a uma das principais instituições de saúde da cidade, a Clínica Montepio Rainha Dona Leonor.

Paradoxalmente a região do Oeste, e em particular Caldas da Rainha, um dos berços da Reumatologia em Portugal, sofre uma forte carência no acesso à especialidade de Reumatologia.

O que é a Reumatologia?

A Reumatologia é a especialidade médica que diagnostica e trata as doenças (não traumáticas) que envolvem, tendencialmente, o sistema músculo-esquelético (ossos, articulações, músculos e tendões).

Mais de metade dos portugueses sofre de pelo menos uma doença reumática, e estas são a primeira causa de incapacidade laboral.

O sintoma mais importante na reumatologia é a dor. Esta é frequentemente, acompanhada de rigidez, calor, tumefação e perda de função. Outros órgãos também podem ser atingidos, como o coração, o rim, o pulmão, o sistema nervoso, o aparelho digestivo, o olho e a pele.

Existem mais de 200 doenças reumáticas. Não existe um exame universal nem nenhum pacote de análises específicas para o diagnóstico em reumatologia, pelo que, em caso de dúvida, é essencial consultar o Reumatologista que irá realizar um estudo clínico completo dirigido para cada situação. 

A reumatologia abrange doenças tais como:

      • Doenças inflamatórias sistémicas (onde há desregulação da imunidade); artrite reumatóide, lúpus eritematoso sistémico, síndrome de Sjögren, esclerose sistémica, espondiloartrite (espondilite anquilosante), doença de Behçet, artrite psoriática, sarcoidose e vasculites, entre outras;

      • Doenças degenerativas das articulações, incluindo da coluna vertebral (osteoartrose);

      • Doenças ósseas metabólicas, como a osteoporose, a doença óssea de Paget, a osteomalacia e o raquitismo;

      • Doenças articulares microcristalinas; como gota e outras doenças mediadas pela deposição de cristais;

      • Patologia periarticular (das estruturas à volta das articulações), como entesites, tendinites, tendinoses, tenossinovites e bursites;

      • Fibromialgia, caracterizada por dor generalizada, fadiga constante e dificuldade na concentração e memória. Bem como outros síndromes de dor generalizada.

    A Reumatologia no Montepio Rainha Dona Leonor

    O Montepio RDL, mais uma vez, marcará a diferença na cidade com a instalação de uma unidade de Reumatologia de forma a dar resposta à região do Oeste.

    A unidade de excelência tem como foco a abordagem das doenças reumáticas e da dor músculo-esquelética. Esta conta com diversas especialidades, nomeadamente Reumatologia bem como o apoio próximo da Medicina Interna, Medicina Física e de Reabilitação, Ortopedia, Dermatologia e Oftalmologia.

    As principais valências desta unidade são:

        • Consulta de Reumatologia: onde é feita a avaliação, diagnóstico e terapêutica das diversas doenças reumáticas já referidas;

        • Consulta de Osteoporose: a osteoporose é uma doença silenciosa com   consequências graves. A mortalidade da fratura do colo do fémur ronda os 25% após 2 anos. O Montepio RDL criou uma consulta multidisciplinar de osteoporose (semelhante ao modelo internacional de fracture liaison) destinado à abordagem precoce desta doença silenciosa;

        • Consulta de técnicas e diagnóstico ecográfico: nesta consulta o utente poderá realizar exames com finalidade de diagnóstico e terapêutica (para alívio da dor). Destaca-se a Ecografia músculo-esquelética, uma ferramenta essencial para o diagnóstico, esclarecimento e seguimento de casos desafiantes.

        • Internamento: onde com o apoio multidisciplinar é possível gerir casos mais complexos e desafiantes;

        • Hospital de Dia: onde é possível a administração e monitorização de fármacos parentéricos (administrados sob a forma de injeção na veia, por via muscular ou subcutânea), sem necessidade de internamento (o utente entra e sai no mesmo dia);

        • Acesso à prescrição de terapêuticas inovadoras; Como os fármacos biológicos (bDMARD) e sintéticos (tsDMARD) que vieram revolucionar radicalmente o prognóstico das doenças reumáticas nos últimos anos.

      ARTIGO JORNAL DAS CALDAS

      REFERENCIAS:

      Serra, João B. (1995). Introdução à história das Caldas da Rainha 2a ed. Caldas da Rainha: Património Histórico, Grupo de Estudos. ISBN 972-8154-06-2

      http://www.reumacensus.org/

      ossosfortes.pt

      spreumatologia.pt/

       

      Dr. Santiago Rodrigues Manica

       

      Dr. Luís Gaião

      A equipa de Reumatologia é constituída pelo Dr. Santiago Rodrigues Manica e Dr. Luís Gaião . Também trabalham em articulação com diversos colegas de outras especialidades no Montepio Rainha D. Leonor.

      Dr. Santiago Rodrigues Manica – Médico Reumatologista (formado no CHLO, Lisboa) e Investigador na NOVA Medical School. Experiência profissional na Alemanha. Pós-graduação em Investigação Clínica pela Harvard Medical School.

      Dr. Luís Manuel Bravo Gaião – Médico licenciado pela Faculdade de Medicina de Lisboa com Especialidade em Reumatologia e Grau de Consultor na mesma especialidade.

      Técnicas/Consultas disponíveis:

      #Consulta de Reumatologia; #Consulta de Osteoporose; #Consulta de Técnicas e Diagnóstico Ecográfico; Técnicas #Ecografia musculo-esquelética; #Infiltração convencional; #Infiltração ecoguiada; #Viscosuplementação; #Capilaroscopia;

      Leguminosas

      As Nações Unidas assinalou, no passado dia 10 de Fevereiro, o Dia Mundial das Leguminosas.

      As leguminosas são grãos/sementes que se dividem em leguminosas frescas como por exemplo, as ervilhas ou as  favas; e em leguminosas secas, destacando-se o feijão (por exemplo: feijão-frade, feijão-vermelho, feijão-preto), grão de bico, soja, lentilhas e tremoço.

      São uma excelente fonte de proteína vegetal de grande valor nutricional, com aminoácidos essenciais (não são produzidos pelo nosso organismo, pelo que é necessário adquiri-los na nossa alimentação), hidratos de carbono complexos, ricos em fibra e em minerais, tais como: o potássio, ferro, magnésio, fósforo, zinco e vitaminas do complexo B.

      As suas propriedades detêm diversos benefícios para a saúde, sendo que ajudam a regular o trânsito intestinal, contribuem para a sensação de saciedade, fornecimento de energia, diminuição da absorção do colesterol e manutenção de níveis estáveis da glicémia (devido aos hidratos de carbono complexos).

      Com o envelhecimento e com a diminuição da digestabilidade, as leguminosas podem provocar distúrbios gastrointestinais resultantes da dificuldade na digestão da mesmas. No entanto existem algumas “técnicas” que ajudam na digestão das mesmas, passando pela alteração da sua consistência, como “picar” ou triturar.

      A roda dos alimentos portuguesa recomenda o consumo diário de 1 a 2 porções. Uma porção corresponde a 1 colher de sopa de leguminosas secas cruas→ 25 g, ou 3 colheres de sopa de leguminosas frescas cruas→ 80 g, ou 3 colheres de sopa de leguminosas frescas/secas cozinhadas → 80 g.

      Ricardo Rebelo (CP:4989N)

      Convergência para locais de trabalho saudáveis

      O desenvolvimento das condições de segurança e saúde no trabalho depende, em larga medida, da capacidade que for evidenciada em cada momento no sentido de dinamizar os múltiplos vetores em que assenta o sistema de prevenção de riscos profissionais no universo do MRDL conjugado com as políticas e diretrizes nacionais e europeias para esta matéria.

       A formação e informação dos atores a nível da Organização, seja a gestão de topo, os trabalhadores, e seus representantes ou o serviço de SHST, constitui uma prioridade para o êxito de qualquer política que sustente as ações a empreender, a diferentes níveis, para melhorar as condições de trabalho e elevar o nível de proteção e segurança e saúde dos trabalhadores.

      Num mundo em transformação acelerada, decorrente de relevantes alterações económicas e sociais , em função das quais emergem novos riscos e novas prioridades de abordagem é fundamental que sejam reforçados os mecanismos para o efetivo desenvolvimento de uma cultura de segurança na Organização, assente em sistemas de prevenção, que permita melhorar, de forma sólida, a relação entre os profissionais e trabalho, privilegiando as competências, a motivação e a melhoria dos processos de trabalho.

      A prevenção de riscos, é neste quadro, uma condição fundamental para que os trabalhadores tenham uma vida digna em sociedade e a Organização alcance sucesso. Trata-se de um conceito que abrange, de forma aberta, todas as valências que permitam eliminar ou reduzir uma multiplicidade de situações com incidência técnica, social, médica, psicológica e económica.  O presente Montepio RDL necessita de uma abordagem que permita estruturar conhecimentos e promover interações de forma integrada, pois, só com o reforço e capacidade de todos aqueles que diariamente contribuem para o funcionamento e desenvolvimento do Montepio RDL é possível garantir a consciência crescente e assegurar a promoção de níveis elevados de qualidade, segurança, saúde e bem-estar no seu local de trabalho. 

      Pretende-se que ao longo do presente ano possamos reforçar os canais de comunicação, sabendo que existe espaço e liberdade para o efeito. A contribuição individual conta, as opiniões são um contributo para a melhoria e desenvolvimento dos locais de trabalho, as condições e situações vivenciadas diariamente por todos nós fornecem indicadores para a melhoria. O reporte a informação atualizada, o conhecimento, etc., são ferramentas pouco utilizadas, mas que fazem ou deveriam fazer toda a diferença. É uma questão de Cultura Organizacional que necessariamente tem do mudar com o contributo de todos. A nossa realidade Organizacional é conjunto de todas as partes, como um puzzle, onde a falta de uma peça, no local certo, deixa o mesmo imperfeito e inacabado.

      Vamos iniciar avaliações de risco participativas paralelamente com a consulta aos trabalhadores em matéria de SHST, esta abordagem vai para além das avaliações de riscos tradicionais uma vez que integra, também, os riscos emergentes conforme referido anteriormente. Englobará os riscos psicossociais, ou seja, todos aqueles que não são facilmente visíveis, carecendo do contributo de cada colaborador, uma vez que o objetivo é evidenciar/identificar e quantificar aspetos vivenciados nos diversos locais de trabalho na perspetiva individual e de grupo. Estamos a falar do ambiente de trabalho (não relacionado com a temperatura, qualidade do ar, iluminação, etc.), stress, assédio moral, organização do trabalho (conteúdo, tempo de trabalho e estrutura da organização), a carga mental, liderança, mobbing[1], etc.

      Ricardo Susano

      Técnico de Higiene, Segurança e Trabalho


      [1] Numa altura em que muito se fala em bullying, verifica-se que apenas se tem centrado o tema nas escolas e nos jovens. Mas há toda uma outra realidade, não menos grave que tem sido ignorada e que tem impactos graves na saúde mental das vítimas – o bullying no local de trabalho, ou seja, o mobbing

      164º Aniversário

      O Montepio Rainha Dona Leonor – Associação Mutualista é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), considerada de Utilidade pública e agraciada pelo Sr. Presidente da República em 1960 com

      Read More »

      As atividades socio-ocupacionais

      As atividades socio-ocupacionais têm um papel crucial no desenvolvimento cognitivo e social das pessoas mais velhas institucionalizadas, uma vez que promovem a sua autonomia, funcionalidade, bem-estar e qualidade de vida. 

      Read More »

      Leguminosas

      As Nações Unidas assinalou, no passado dia 10 de Fevereiro, o Dia Mundial das Leguminosas. As leguminosas são grãos/sementes que se dividem em leguminosas frescas como por exemplo, as ervilhas

      Read More »